Siga:

5/3/201503:02:29

Índice CEAGESP recua 2,32% em março/2015


No ano, indicador registra elevação de 4,71% e, nos últimos 12 meses, queda de 0,84%.

- Descrição do Índice

Em março de 2015, o setor de frutas caiu 3,18%. As principais quedas foram do kiwi (-22,6%), caju (-17,7%), maça nacional (-14,3%), abacaxi havaí (-11,3%) e coco verde (-10,2%). As principais altas foram do mamão havaí (58,1%), uva niagara (22,6%), mamão formosa (20,6%)) e manga tommy (14,55).

O setor de legumes registrou queda de 8,84%. Os principais recuos foram do chuchu (-58,9%), abobrinha italiana (-19,6%), vagem (-18,6%), quiabo (-18,1%), abobrinha brasileira (-17%) e jiló (-14,4%). As principais altas foram do pimentão amarelo (20,1%), pimentão vermelho (21,2%), tomate cereja (18%), batata doce rosada (8,6%) e abóbora japonesa (7,7%).

O setor de verduras apresentou alta de 3,44%. As principais elevações foram da couve (21,5%), espinafre (12%), alho porró (11,5%), agrião (10,1%) e alface lisa (9,9%). As principais quedas foram do coentro (50,1%), acelga (-18,7%), salsa (-17,6%), repolho (-10,9%), e chicória (-8%).

O setor de diversos subiu 2,11%. As principais altas foram da cebola (37,8%0, alho (10,9%) e ovos brancos (5,2%). As principais quedas foram da batata comum (-11,5%), batata lisa (-11,2%), coco seco (-8,4%) e canjica (-5,8%).

O setor de pescados subiu 4,42%. As principais altas foram da corvina (23,7%), tilápia (20,3%), tainha (17,4%) e salmão (10,35). As principais quedas foram do polvo (-7,7%), pescada (-6,3%) e espada (-4,8%).

- Tendência do Índice

O Índice de preços da CEAGESP começou a dar sinais que as temporadas de altas acentuadas ficaram para trás. Em março, a retração nos preços foi de 2,32%. Apesar de alguns aumentos pontuais, a tendência, com a chegada do outono, é de redução dos preços praticados.

Com a chegada do outono, estação que tem como principais características a redução do volume de chuvas e temperaturas mais amenas, os setores de legumes e verduras deverão registrar elevação do volume ofertado e melhora acentuada da qualidade. Assim, com a esperada retração do consumo neste período, são esperadas novas reduções em abril e maio.

A possibilidade de rodízio de água nas regiões produtoras foi temporariamente descartada no curto prazo. Assim, os produtores, principalmente do Alto Tietê, deverão investir normalmente na produção de hortaliças.


Março - 2015

CategoriaÍndice %
Geral
Frutas
Legumes
Verduras
Diversos*
Pescados




Enviar para um amigo

Mensagem enviada com sucesso!

Seu Nome:
E-mail do Amigo:

Comunicar um erro

Mensagem enviada com sucesso!

Seu E-mail:
Comunique o erro:
Versão para impressão Enviar para um amigo Comunicar um erro

Outros Índices de 2019:

Veja também: