Siga:

6/2/201702:08:01

Índice CEAGESP recua 4,57% em janeiro


- Descrição do Índice

Em janeiro, o setor de frutas registrou queda de 8,15%. O recuo é normal em janeiro, pois, em dezembro o setor registra preços mais elevados em razão da maior procura pelas festas de final de ano. A surpresa, no entanto, foi a queda acentuada e com início já durante o mês de dezembro. As Principais quedas foram do limão taiti (-57,1%), abacate (-50,2%), carambola (-36,8%), mamão formosa (-33,7%) e uva niagara (-26,8%). As principais altas foram do coco verde (47,3%), abacaxi pérola (17,6%) e maracujá azedo (13,6%).

O setor de legumes registrou queda de 4,43%. As principais baixas foram do pimentão amarelo (-46%), pimentão vermelho (-38,7%), mandioquinha (-27,4%), tomate (-21,2%) e batata doce rosada (-15,8%). As principais altas foram do chuchu (60,3%), berinjela (38,8%), pepino comum (31,1%), abobrinha brasileira (22,2%) e abobrinha italiana (16,5%).

O setor de verduras subiu 10,08%. As principais elevações foram do coentro (98,2%), alface lisa (33%), almeirão (31%), brócolos (27,4%) e espinafre (24,4%). As principais quedas foram da couve-flor (-12%) e salsa (-11,4%).

O setor de diversos caiu 6,83%. Os principais recuos foram da batata lisa (-19,7%), batata comum (-18,6%), cebola nacional (-11,6%), ovos (-7,9%), milho pipoca (-6,85) e coco seco (-6,3%). Não houve altas significativas no setor.

O setor de pescados subiu 6,77%. As principais elevações foram da corvina (38,4%), cascote (32,9%), namorado (31,2%), pintado (16,7%) e anchovas (15,8%). As principais quedas foram do atum (-13,8%) e pescada (-2,8%).

- Tendência do Índice

O Índice de preços da CEAGESP iniciou o ano com forte queda. Recuou 4,57%, impulsionado principalmente pela queda dos preços de frutas e legumes. Vários produtos como tomate, batata, folhosas, entre outros, obtiveram, durante o início do mês de janeiro, preços inferiores ao custo de produção. Assim, houve descarte na lavoura e baixa remuneração ao produtor rural.

No final no mês de janeiro, no entanto, as chuvas prejudicaram acentuadamente a produção de verduras e legumes mais sensíveis, fato que deverá implicar majorações nos preços de legumes e verduras durante todo o mês de fevereiro. Porém, de acordo com Flávio Godas, economista da CEAGESP, “a elevação prevista é uma situação absolutamente normal para o período de verão, que se caracteriza pelo excesso de chuvas e altas temperaturas, conjunto extremamente prejudicial para a produção de hortaliças”. Godas acrescenta ainda “que a busca por alimentos mais leves e saudáveis se intensificam no verão”.

Ao contrário do ano passado, 2017 começou registrando aumento do volume em toneladas. O volume comercializado no entreposto de São Paulo registrou elevação de 5,67% em janeiro de 2017 ante o mesmo mês de 2016. O aumento em volume físico foi de 14.601 toneladas. Como houve recuperação no último bimestre do ano passado, a expectativa é de um cenário bem mais otimista para 2017, mesmo com os problemas climáticos, que se diga, estão dentro da mais absoluta normalidade para o período.


Janeiro - 2017

CategoriaÍndice %
Geral-4,57%
Frutas-8,15%
Legumes-4,43%
Verduras10,08%
Diversos*-6,83%
Pescados6,77%




Enviar para um amigo

Mensagem enviada com sucesso!

Seu Nome:
E-mail do Amigo:

Comunicar um erro

Mensagem enviada com sucesso!

Seu E-mail:
Comunique o erro:
Versão para impressão Enviar para um amigo Comunicar um erro

Outros Índices de 2017:

Veja também: